Digitalização do laboratório de próteses

Odontologia digital no laboratório – com Marcos Celestrino

A odontologia digital já é uma realidade na odontologia, mas ainda existem algumas dúvidas em torno do assunto. Por isso, convidamos Marcos Celestrino, Técnico em Prótese Dentária, Autor do livro Essência Odontologia sem fronteiras e proprietário do Laboratório Aliança para responder algumas perguntas sobre esse tema. Confira!

1. Para você, o que é inovação?

Com frequência me deparo com esse questionamento, apesar de parecer uma resposta simples, em muitas vezes podemos gerar questionamentos e polêmicas. De forma bem simples, no meu ponto de vista, inovação é você acreditar em novas ideias e contextos. Ela vem sempre a partir do momento que você deseja melhorar seus resultados e fazer as coisas de um jeito diferente e, muitas vezes, precisamos pensar fora da caixa, acreditar e mudar. Essa é minha definição de inovação.

2. Qual você considera ser o maior benefício da digitalização do laboratório?

A digitalização nos traz vários benefícios, dentre elas posso citar 3 coisas:

  • aumento de produtividade;
  • previsibilidade;
  • qualidade de vida.

Com a digitalização do laboratório, podemos programar nossos trabalhos para que possamos ir para a casa enquanto as máquinas produzem no período noturno, então acredito que esses sejam os maiores benefícios.

3. Qual você considera ter sido o maior desafio do seu laboratório ao aderir o fluxo digital?

O maior desafio, além do investimento inicial, foi a mudança de cultura. Nós técnicos somos como artistas e muitas vezes apaixonados. No meu caso, que por anos como ceramista estava acostumado a fazer meus casos todos estratificados, relutei muito para acreditar que a tecnologia seria um facilitador nos processos e por isso, não passava segurança para a minha equipe.

Foi quando em um dia decidi começar a mudança por mim mesmo e fui colocando algumas metas. Lembro que estabeleci uma data para abandonar os gotejadores e usar somente o planejamento digital e fresar as ceras e consequentemente fazer a maioria dos meus casos maquiados.

Sendo assim, praticamente parei de estratificar as cerâmicas e posso te dizer que hoje tenho muito mais tempo para estudar outras coisas. Essa é uma mudança que começa dentro de você e o fluxo digital facilitou até mesmo a organizar os laboratórios de próteses.

Torne seu laboratório de prótese dentária digital com a Dental Cremer Lab

4. Você acha que o fluxo digital pode substituir a necessidade da habilidade técnica do profissional?

Na verdade acredito que ela poderá replicar muito mais que um técnico de bancada, isso em questão de produzir mais em menos tempo, no entanto acredito que os técnicos que serão definidos para fazerem os projetos devam ser os melhores, e que possam passar seus conhecimentos para os planejamentos no fluxo digital e, nessa condição, teremos o melhor dos dois mundos.

5. Você acha importante que os Técnicos em Prótese Dentária busquem atualizações? (Seja em cursos, em eventos como o CIOSP etc…)

Com certeza e não abro mão disso. Para nos mantermos atualizados, não vejo outro caminho além dos diversos conteúdos on-line, os congressos e cursos, que nos dão a única oportunidade de um olho no olho, de trocarmos ideias e absorve-las na hora. Eu acredito que os cursos presenciais e congressos são relevantes por pura necessidade do ser humano de se encontrar e se confraternizar, por isso, os eventos ainda serão uma grande oportunidade para nos atualizarmos.

Comentários

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *