Técnico em prótese dentária: Profissão e desafios da carreira

Como iniciei minha carreira como Técnico em Prótese Dentária

Minha infância foi marcada por altos e baixos financeiros onde eu via meu pai e minha mãe trabalhando muito, porém com muitas dificuldades, somos em 3 irmãos e me lembro que na época, ganhávamos as roupas dos primos mais velhos e íamos revezando entre nós 3, foi uma infância de muitas dificuldades, porém éramos muito unidos e obstinados a mudar nossa história.

Para você ter uma ideia, com 16 anos de idade eu trabalhava como auxiliar de mecânico numa cidade do interior do Paraná chamada Francisco Beltrão. Não desvalorizando a profissão, mas eu odiava aquela função de lavar peças engraxadas com gasolina, minhas mãos ficavam horríveis e eu fazia de tudo para disfarçar o cheiro.

Certo dia, um amigo da família que era dentista, viu meu esforço e me convidou para trabalhar com ele. Ele estava abrindo uma escola de prótese e me ofereceu um emprego em troca de uma vaga no curso. Era a oportunidade de mudar de vida! De largar a graxa! Mas as coisas não foram tão simples assim…

Eu tinha que fazer de tudo lá dentro da escola… A escola era grande, tinha aula todos os dias, então eu passava a maior parte do tempo limpando as salas, banheiros, escadas e vidraças… E logo já não me sentia mais motivado. De auxiliar de mecânico, virei zelador.

Lembro que depois de um longo dia de trabalho, onde sempre percorria 16 km de bicicleta para ir e voltar da escola, cheguei em casa exausto e muito desanimado, pensando em desistir. Mas meus pais me falaram: “Você vai ser grande meu filho, é só uma fase.”

Como eu trabalhava o dia inteiro na escola, não tinha tempo de me dedicar no curso, não tinha tempo de treinar anatomia e meus dentes raramente eram aprovados pelo professor.

Então do contrário que muitos pensam, eu não tinha o dom, eu deveria ser o pior da turma… Até que eu comecei a trabalhar em um laboratório.

>> Leia também: De funcionária a empreendedora com Beatriz Vieira

O dia que comecei a trabalhar em um laboratório

Durante esse período eu passei por todos os setores dentro do laboratório, e isso foi muito importante pra mim, passei pela área de gesso, pela área de escultura, pela área de usinagem, passei pelas próteses removíveis, prótese total, PPR… Eu fiz de tudo dentro do laboratório… no começo, ajudei até na limpeza. E nessa época em ganhava um salário mínimo e pagava meio salário de mensalidade no curso de prótese, o salário da época era 130 reais e sobrava 65 reais para passar o mês.

E quando eu comecei a trabalhar no laboratório, eu ficava observando os ceramistas, como eles se comportavam, como eles se vestiam… Eles eram os caras mais bem vestidos dentro do laboratório, eles andavam com seus carrões. E eu ficava imaginando, poxa, um dia eu quero ser como eles.

E eu pensava, o que eu quero fazer dentro do laboratório é o que esses caras fazem, aplicar essas massinhas cor de rosa, eu nem sabia o que era aplicar cerâmica.

E naquela época, em 1998, não era como hoje que tem vários cursos, que o conhecimento está super acessível… Quem sabia alguma coisa não compartilhava, mantinha em segredo, como um tesouro. Até nos cursos que ia fazer, era difícil o professor entregar tudo.

Mas o meu sonho era chegar lá na aplicação de cerâmica.

E isso demorou mais do que eu imaginava, justamente por essa falta de informação e conhecimento.

Então eu ficava com aquilo na cabeça, eu preciso aprender a aplicar essa massinha cor de rosa, porque é isso que vai me dar o “carrão”, é isso que vai trazer mais conforto para a minha família…

Não estou desmerecendo nenhum outro setor, mas a aplicação de cerâmica é o setor mais valorizado dentro do laboratório, e eu via o grande potencial de aprender a fazer isso.

Quando abri meu próprio laboratório

No ano 2000 eu consegui abrir um pequeno laboratório, onde só fazia resina e tinha pouco trabalho na época, por ser inexperiente… Foi quando me senti meio perdido e notei que não era só isso que eu queria fazer, eu queria mesmo era fazer cerâmica, que foi o que eu sempre sonhei.

Eu tinha um dinheiro guardado para comprar um carro e resolvi deixar o carro de lado para investir em um forno de cerâmica e um kit de cerâmica.

E não foi tão simples assim, tive que me dedicar muito para aprender a aplicar cerâmica e na época, como já comentei, não existiam muitos profissionais que compartilhavam o conhecimento, mas eu sempre que conseguia estava participando de congressos e cursos. E com a prática no dia a dia, errando muito e acertando eu aprendi a aplicar cerâmica e já estava conseguindo bons resultados nos meus trabalhos.

E nessa época eu recebi uma proposta para ser ceramista da equipe de um laboratório de Cascavel… E a partir daí as coisas começaram a mudar na minha vida.

Trabalhei 8 anos como ceramista nesse laboratório e comecei a ganhar visibilidade na região, logo depois em 2009 fui convidado a trabalhar em um dos maiores e mais conceituados Laboratórios do Brasil.

E como eu tinha muito trabalho, chegava a fazer mais de 200 dentes por mês, eu precisava produzir com mais agilidade, mantendo a qualidade… Mas a técnica que eu utilizava era demorada.

Foi então que comecei a desenvolver um método de trabalho, que me permitia fazer trabalhos extremamente naturais, com muito mais facilidade e agilidade.

Quando comecei a ensinar para outras pessoas meu método de trabalho

E muitos colegas e amigos ficavam surpresos com a minha produção, não conseguiam entender como eu conseguia produzir tanto e com tanta qualidade e naturalidade e foi então que comecei a ensinar outras pessoas esse meu método de trabalho, para que não só eu, outros técnicos também poderiam aplicar isso nos seus trabalhos e alcançar os mesmos resultados que eu.

E de lá pra cá me dedico a ensinar esse método para milhares de técnicos e a trabalhar para os melhores dentistas do mundo.

Esse método me possibilita reproduzir fielmente o planejamento e a entender as estruturas que precisamos reproduzir. Tudo isso de uma maneira muito prática e ágil!

E através da prótese eu pude conquistar tudo que tenho hoje, vários imóveis, o carro dos meus sonhos, um laboratório equipado com a mais alta tecnologia, além de ser reconhecido no mundo inteiro. Quem diria que aquele menino, zelador da escola de prótese, ia chegar até aqui.

Dizer que foi fácil? Não!!!

Foi muita dedicação, muitas horas de noites não dormidas, abdicação da família e às vezes trabalhar sem condições físicas, mas posso olhar pra trás e ver que valeu a pena.

Agora vou deixar 3 dicas pra ajudar você, que está começando na carreira de Técnico em Prótese Dentária:

 

Torne seu laboratório de prótese dentária digital com a Dental Cremer Lab

 

1 – Invista em cursos de aperfeiçoamento

Diferente da época que comecei, hoje em dia existem muitos cursos de aperfeiçoamento em todas as áreas do laboratório, e investir em cursos com especialistas vai te ajudar a ser um profissional de sucesso.

2 – Surpreenda positivamente

Vá sempre além e faça sempre mais do que você for pago para fazer. Dê o seu melhor!

3 – Atualize-se continuamente

Caminhe sempre em direção a evolução do mercado, esteja atento as tendências e inovações.

Comentários

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *